CANCÚN: parte I

O que dizer dessa cidade? Não tenho palavras para descrever esse local de águas cristalinas, de pessoas amigáveis e de cultura incalculável.

10

Nossa viagem começou em uma terça-feira a noite, onde seguimos para Guarulhos. Como já contei aqui, quando viajo pelo o Aereoporto de Guarulhos deixo o carro em estacionamento próximo ao aeroporto, existe vários dessetipo, mas normalmento deixo no Yellow Parking.

Nosso voo era as 1:30 hrs com destino ao aeroporto do Panamá, onde fiz conexão para então sonhado destino: CANCUN

Voamos com a Copa Airlines e sinceramente me surpreendeu, pois só estava ouvindo relatos maus da companhia. Apesar do espaço pequeno entre as poltronas, o serviço prestado era bom, com comissários atenciosos e serviço de atendimento bem legal.

02

01

64

65

66

67

68

Aeroporto da Cidade do Panamá

É o aeroporto de desejos dos brasileiros, não era aqueles que tem como destinos cidades repletas de outlets como Miami e Orlando, mas para os que vão para Cancun, Punta Cana e outros locais caribenhos é um ótimo aeroporto para compras.

Vista do avião do Canal do Panamá

O famoso Duty Free que conhecemos do Brasil é diferente por lá. É formado por diversas lojas pelos corredores que leva até os portões de embarque.

Tem lojas como a Riviera e Attenza que dominam o local, vendendo cosméticos, perfumes, bebidas, eletrônicos e doces. A MAC tem algumas lojas no aeroporto (eu vi duas) onde os preços são bem atrativos, como por exemplos os batons por 16 dólares. A marca brasileira Melissa também tem um espaço no local. Mas confesso que não fui xeretar os preços

14

Sim, muitas coisas compensam nesse Free Shop. Como os eletrônicos por exemplo que tem vários preços atrativos.

Já a parte alimentação no aeroporto não é barato, para se ter uma ideia, eu e meu pai fizemos um lanchinho com uma empanada para cada e um refrigerante de lata para nós dois foram 12 dólares, que transformando em nossa moeda é um pouco caro. E na volta um lanche por 15 dólares.

57

Seguindo viagem chegamos ao aeroporto de Cancun, que digamos que a chegada ao aeroporto de voos de origem de países latinos é meio complicadinho, pois as malas são vistoriadas por cães farejadores uma por uma, o que acaba sendo uma grande demora.

Passando pela demora da mala seguimos em direção ao nosso transfer. Então começava a diversão do paraíso. Só que não (rsrs).

Agora chega a parte de contar o meu primeiro drama da viagem.

Como estava planejando a minha viagem o hotel que escolhi foi o Resort Paradisus, pois ele é imponente e as recordações eram ótimas.

Então chegamos no hotel e já vieram pegar nossas malas e uma moça muito simpática veio e nos levou para uma parte de recepção e os mimos já começaram, como oferendo bebinhas para nós.

Quando chega um senhor e vem me falar que o hotel teve um problema e não teria quarto para minha família. Vocês imaginam o estado que fiquei? Mega ultra irritada, a sensação era das piores. Um filme passava pela minha cabeça, pois desde o dia que fomos fechar a viagem, conversamos muito em família sobre o destino e tínhamos pensado em ficar em outro hotel, mas o desejo sempre foi ficar no Paradisus, era um sonho, depois de muitas conversas decidimos diminuir alguns passeios em Cancun para ficar hospedados no Paradisus, para poder compensar os custos. A sensação era horrível.

Meu pai é diabético, a qual é super controlada, mas com o nervosismos isso mudou completamente, o que fez ele não passar muito bem. Outra coisa, minha viagem foi planejada com meus pais, senhores de 70 e 69 anos, o que não tiveram o mínimo de respeito com esse fato.

A proposta era o hotel Me Cancun, o qual fomos para lá, pois não queríamos mais um desgaste e logo mais eu tinha a apresentação do Cirque Du Soleil.

Mas agora isso é assunto para outro post né?



2 Comments

  1. Excelente artigo, muito obrigado por compartilhar esse conteúdo de valor. Adicionei seu site aos favoritos para voltar mais vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *