Tag: o que fazer (page 1 of 2)

COMO ESCOLHER UM HOTEL NO RIO DE JANEIRO

Para mim escolher onde ficar em qualquer viagem, seja hostel, pousada, hotel, resort, apartamento, enfim, onde colocar minha cabeça para dormir, é sempre a parte mais trabalhosa, pois para essa minha escolha eu já tenho que pensar mais ou menos o que vou querer fazer na cidade e qual é meu intuito da viagem: se é diversão na noite, se para descansar, se é para conhecer os principais pontos turísticos ou se para um evento específico.

O Rio de Janeiro é uma cidade enorme e tem diversos bairros com com estruturas para receber os diferentes tipos de turistas e aqui acho que vale super a pena pensar antes de reservar o hotel o que você vai querer fazer na cidade, vou citar abaixo algumas regiões famosas e falar sobre os pontos fortes de cada uma.

 



Continue reading

Amante de viagens, apaixonada por moda e alucinadamente curiosa, junta tudo num potinho e o resultado sou eu!
Siga nas redes sociais.

ONDE SE HOSPEDAR EM CARTAGENA?

Antes de tudo vamos entender como que a cidade de Cartagena de Índias “funciona”.

Digamos que a cidade (a parte turística) é divida em 3 partes: BOCA GRANDE (Zona Nova e Hoteleira), CIDADE HISTÓRICA / AMURALHADA (também chamada de San Diego) e GETSENAMI (Antiga zona degradante da cidade, que agora se tornou cool).

BOCA GRANDE tem uma grande concentração de hotéis, e alguns de rede como o Hilton. Ali é a modernidade da cidade com diversos prédios e restaurantes. Taxi para a Cidade Amuralhada custa cerca de 8 mil pesos colombianos.

Continue reading

Amante de viagens, apaixonada por moda e alucinadamente curiosa, junta tudo num potinho e o resultado sou eu!
Siga nas redes sociais.

MUSEU TORRES GARCÍA

O Museu Torres Garcia  é o local de exposição da obra do pintor, escrito e professor Joaquín Torres García.

O museu foi criado após a morte de Joaquín, o qual faleceu em 1949. Seu familiares e amigos decidiram criar o local para mostrar toda a obra do artista. Foi inaugurado em 28 de julho de 1955 e antigamente ficava na Avenida 18 de Julio, durante sua história foi mudando de local e somente em 1990 se estabeleceu no atual endereço.

Acredito que a obra mais importante de Joaquín, e se não for a mais importante é a que mais retrata o seu amor por sua pátria é a “América invertida” onde ele inverte o mapa mundi, colocando o Uruguai no topo.

Joaquín_Torres_García_-_América_Invertida

Continue reading

Amante de viagens, apaixonada por moda e alucinadamente curiosa, junta tudo num potinho e o resultado sou eu!
Siga nas redes sociais.

OBELISCO DE MONTEVIDEO

O verdadeiro nome é Obelisco dos Constituintes de 1830 (Obelisco a los Constituyentes de 1830), fica na Rua Bulevar Artigas e Avenida 18 de Julio no Parque Batlle de Montevidéo.

É uma obra em granito e bronze do escultor uruguaio José Luis Zorrilla de San Martín.

O monumento foi inaugurado no ano de 1938 e é uma homenagem para os participantes de Assembléa Geral Constituinte e a Legislativa do Estado, que no ano de 1830 sancionaram a primeira Constituição Nacional.

No ano de 1976 o Obelisco foi declarado Monumento Histórico Nacional.

As estatuas que estão situadas nos lados Sul, Norte e Leste do obelisco significa a lei, a liberdade e a força.

obelisco

Ônibus que passam por lá:

COME: 526
RAINCOOP: 14, 21, 64, 71
CUTCSA: 101, 102, 103, 105, 109, 110, 111, 112, 113, 140, 157, 163, 174, 180, 181, 183, 187, 188

Amante de viagens, apaixonada por moda e alucinadamente curiosa, junta tudo num potinho e o resultado sou eu!
Siga nas redes sociais.

PARQUE BATLLE MONTEVIDEO

No Obelisco de Montevidéu começa um dos parques mais grandes situados no centro de Montevidéu.

No começo do parque era formado por 11 hectáries que foram doados para cidade por Antonio Pereira em 1906, com o propósito de ser o Parque Central da cidade.

No ano de 1919, com o acontecimento da Primeira Guerra Mundial, passou a se chamar Parque dos Aliados e isso fez anexar mais 60 hectares e dez anos depois, em 1929 recebeu o nome atual em homenagem a José Batlle y Ordóñez, considerado o pai do Uruguai moderno.

Nos dias atuais o parque se transformou em um bairro residencial que rodeia o parque e que no seu centro tem o Estádio Centenário e também o monumento La Carreta.

parque batlle

Amante de viagens, apaixonada por moda e alucinadamente curiosa, junta tudo num potinho e o resultado sou eu!
Siga nas redes sociais.

MINA DE SAL WIELICZKA

mina de sal

Após a visita pela manhã em Auschwitz resolvemos ir na parte da tarde conhecer a famosa Mina de Sal Wieliczka, que fica na cidade que leva o nome da minha (Wieliczka) e foi fundada em 1290.

IMG_9603

 

IMG_9602IMG_9599IMG_9600

Mas antes de ir para mina tinha assistido o SBT Repórter que falava um pouco da mina (https://www.youtube.com/watch?v=9lQMnJLRXuU), acho interessante ver, porque lá você pode ver uns locais que não verá na visita a não ser que você tenha planos de se hospedar na mina, como o hotel. Isso mesmo! Tem um hotel a 135 metros de profundidade, onde as pessoas se hospedam para fazer tratamentos respiratórios.

Mas vamos lá! A Mina é uma das mais antigas do mundo e Patrimônio da Humanidade da Unesco desde do ano de 1978. Que para essa “eleição” contruiram a Capela, onde tem diversas esculturas de sal. A Capela é em homenagem a Santa Cunegunda, que conta a lenda que ela era filha de um rei húngaro e foi prometida ao rei da Polônia. Ao receber como dote várias pedras preciosas e riquezas, recusou e disse que essa riqueza tinha origem o sangue do povo e que ao invés de ouro, ela pediu sal e seu pai ofereceu-lhe então uma mina de sal na Transilvânia. Em reverencia ao presente Cunegunda atirou o seu anel dentro da mina. Tempo depois, já na Polônia, chegou até Wieliczka, onde ela pediu que cavassem um buraco profundo e que para a surpresa de todos continha muito sal e o anel de Cunegunda que havia atirada na Transilvânia. Assim deram inicio a exploração do local e essa história é possível ver por esculturas na mina feitas pelo mineiro Mieczyslaw Kluzek.

A produção de sal da mina durou do século XIII até pouco tempo atrás, quando começou a ser voltada apenas ao turismo.

Durante a segunda guerra mundial, o local foi ocupado pelos alemães, utilizando o local para armazenamento e fabricação de materiais para a guerra.

Agora minha experiência no local: ao chegar no espaço, tem um belo jardim e algumas lojinhas de souvernis e lanchonetes. Ah! Não sei se tem sempre mais tinha uma espécie de “barraquinha” que tinha uns “cristais de sal” que você podia pegar e levar de lembrancinha.

IMG_9597IMG_9596IMG_9594

A entrada na minha é feito com grupos e os guias são devidamente trajados com roupas de época. Para começar o passeio fazemos a decida na minha através de escadas, muitas escadas! (tem elevadores para pessoas que tem mobilidade reduzida). E ao chegar lá embaixo tem uma leve brisa e correntes de ar que fica um pouco geladinha.

IMG_9608IMG_9632IMG_9629IMG_9657IMG_96632014-08-09 17.55.482014-08-09 18.01.04

É um passeio imperdível, é impressionante o que conseguiram fazer naquele local, é tudo sal e o mais engraçado é passar a mão no rosto e depois sentir, você está salgado rsrs.

O passeio vai passando por diversas galerias, com várias esculturas e histórias, depois de uma caminha se chega a Capela, que é impressionante é lindo.

2014-08-09 18.23.20IMG_9673IMG_9667

Depois ainda você vai passando por outras galerias e com lagos artificiais.

IMG_96532014-08-11 17.18.472014-08-11 17.18.432014-08-11 17.18.362014-08-09 19.29.242014-08-09 18.44.572014-08-09 19.24.362014-08-09 19.22.172014-08-09 18.10.35

O local também é usado como espaço para realização de casamentos, no dia que estava lá na saída estava chegando alguns convidados.Mas a visita também tem suas partes emocionantes, como a subida de volta em um elevador escuro e que sobe 4 metros por segundo. Enfim se tiverem em Cracóvia não perca a visita na Mina!



Amante de viagens, apaixonada por moda e alucinadamente curiosa, junta tudo num potinho e o resultado sou eu!
Siga nas redes sociais.

VARSÓVIA: Diário de viagem – parte II

varsóvia 02

Vamos lá a cidade de Varsóvia passou a ser a capital da Polônia em 1956 e durante a Segunda Guerra Mundial, cerca de 80% das construções da cidade foi destruída em bombardeios. Um dos bairros que pesquisei que dizem ser interessantes para visitar é o bairro de Praga, pois os prédios locais mostram as marcas da destruição da guerra e também foi o local de filmagem do filme de Polanski, O Pianista.

Mas vamos para meu diário do dia, o primeiro destino foi o Jardim de Chopin, o Parque Łazienki!

Continue reading

Amante de viagens, apaixonada por moda e alucinadamente curiosa, junta tudo num potinho e o resultado sou eu!
Siga nas redes sociais.

Older posts