QUE DINHEIRO LEVAR PARA O URUGUAI?

Que dinheiro levar para o Uruguai? Acho que isso sempre é uma pergunta que nos fazemos quando vamos viajar para outro país. Se a gente leva dólar, troca o dinheiro no Brasil, usamos nossa moeda, cartão de crédito, débito ou pré pago?

Acredito fielmente que cada local tem suas particularidades, e também acredito que é muito mais confusos em fazer essa pergunta em países que são nossos vizinhos, pelo menos para a minha pessoa e acredito que para outras também possa ser.

O nome da moeda do Uruguai é Peso, isso mesmo, o mesmo nome usado em outros país latinos, como Argentina e Chile.

Existem notas de 20, 50, 100, 200, 500, 1000 e 2000 pesos e as moedinhas são de 50 centavos de pesos, 1, 2, 5 e 10 pesos.

 

fonte: http://www.taringa.net/posts/economia-negocios/13505009/Nuevas-monedas-uruguayas.html

fonte: http://www.taringa.net/posts/economia-negocios/13505009/Nuevas-monedas-uruguayas.html

fonte: http://www.taringa.net/posts/economia-negocios/13505009/Nuevas-monedas-uruguayas.html

fonte: http://www.taringa.net/posts/economia-negocios/13505009/Nuevas-monedas-uruguayas.html

Sobre levar real, dólar ou trocar peso já no Brasil; na minha opinião leve real é a melhor opção, trocar o que você julgue necessário para as suas necessidades, pois alguns lugares aceitam real e ainda com melhor cotação que casas de cambio. Então ande na carteira com pesos e real, quando compensar usar real use!

Pesquisando sobre o Uruguai, descobri que o país tem políticas de incentivo ao turismo, dando para os estrangeiros descontos de IVA. Mas o que é isso?

Até 31 de março de 2016 (normalmente eles sempre prorrogam anualmente), existe a devolução de IVA sobre os serviços turísticos para pessoas físicas não residentes, desde que sejam pagos com cartão de débito ou créditos emitidos no exterior (como por exemplo: cartões emitidos no Brasil, Argentina, Estados Unidos, entre outros).

Os serviços que tem esse desconto são:

Serviços gastronômicos, quando prestados por restaurantes, bares, cantinas, confeitarias, cafeterias, salões de chá e similares, ou pelos hotéis, motéis, apart-hotéis, hosterias, estâncias turísticas, hotéis de campo, fazendas turísticas, pousadas de campo, casas de campo e camping hostels, desde que essas prestações não abranjam o conceito de hospedagem;

Serviços de catering para a realização de festas e eventos;

Serviço para festas e eventos, não inclusos no literal anterior;

Locações de veículos sem motorista

Devolução do 10,5% do valor do arrendamento de imóveis com fins turísticos a arrendatários que sejan pessoas físicas não-residentes, desde que o arrendamento se realize em Imobiliárias cadastradas e o meio de pagamento utilizado seja cartão de débito ou crédito emitido no exterior. Essa devolução operará até 31 de marzo de 2016. A empresa emissora do cartão deverá incluir no estado de conta o desconto que apareça no tíquete emitido pelo POS.

Outros benefícios para turistas:

 Regime de Tax-Free: Para compras realizadas nas lojas aderidas ao sistema, cumprindo a gestão correspondente no momento da compra e enquanto o egresso do país se produza através de algum dos seguintes passos da fronteira: Aeroporto Internacional de Carrasco, Aeroporto de Laguna do Sauce, Porto de Montevidéu, Porto de Colônia, Terminal de Arribos de Cruzeiros de Punta del Este, Ponte Salto – Concórdia, Ponte Paysandú – Colón e Ponte Fray Bentos – Porto Unzué. No momento de deixar o país, deverá ser completada a gestão correspondente para a restituição nos locais devidamente identificados.

 IVA zero em hotéis: Benefício válido para estrangeiros apresentando documento de identidade emitido no exterior. Ao estar isento, esse consumo fatura-se sem IVA. Portanto, o imposto não é cobrado, não gerando devolução.

 Os pedágios: Podem-se pagar em Pesos Uruguaios, Pesos Argentinos, Reais ou Dólares.

 Compra de combustível: Desconto de 24% em combustível (gasolina) pagamento com cartão de crédito ou débito, sobre o preço de venda, nos postos localizados em um rádio de 20 Km desde os seguintes locais de passo de fronteira, com a República Argentina: Fray Bentos – Porto Unzué, Paysandú – Colón, Salto – Concórdia; com a República Federativa do Brasil: Chuí, Rio.

 A partir de 1° de agosto de 2014, o governo uruguaio decretou a baixa de 4 pontos de IVA em todas as compras com cartão de débito, e de 2 pontos de IVA nas compras realizadas com cartão de crédito. Esse desconto não é acumulável com os benefícios detalhados anteriormente”. (http://www.turismo.gub.uy/index.php/pr/beneficios)

Ok, escrevi e escrevi e confesso que quando eu li tudo isso ai, ainda fiquei com dúvida. Então vamos contar a minha experiência:

Resolvemos testar nos restaurante, e o que acontece que recebemos de “desconto” quando pago a conta com cartão de crédito (não vale a pena usar cartão pré pago), o desconto do IVA é de 20%, mas acaba sendo de 18,5%, pois 1,5% fica para o governo como taxa de processamento. Então mesmo com o valor de IOF de 6,38% vale a pena pagar algumas coisas no cartão de crédito. Digo algumas coisas porque com a atual situação econômica do nosso país, onde o dólar é extremamente instável, temos que ter sempre o pé atrás, por não saber o quanto vai vim a cotação do dólar na fatura do seu cartão.

Para quem usa o cartão da bandeira Visa o desconto já é mostrado no momento da emissão da nota fiscal, já o Mastercard aparece na fatura.

Mais uma dica, na verdade acho que vale mais para a cidade de Punta del Este, pois foi lá que vi essas “promoções”. Alguns estabelecimentos oferecem maior desconto quando pago com cartão de algum banco especifico, tipo Itaú, Santander, entre outros. Um exemplo, foi quando fui almoçar no Oh Barra e além do desconto do IVA tive 25% de desconto por causa do uso do cartão do Banco Itaú. A sorveteria Freddo do mesmo shopping tinha a promoção de compra 1 e leva dois quando pago com o cartão Itaú (estou falando do Itaú, pois foi o que utilizei, mas vi propaganda do Santander e American Express).

final

Outra dica, é que sempre que vou viajar para algum lugar entro no site mochileiros.com para pesquisar pessoas que vão fazer o mesmo trajeto ou que estarão no mesmo período no local, assim a gente conhece mais pessoas e começa novas amizades, e nessa viagem não podia ser diferente.

Pedi para algumas pessoas que quisessem participar do blog para dar dicas para os leitores, e ai vai dicas da Bárbara Olivieri para vocês sobre as estradas uruguaias:

Recomendo levar só o básico para o começo, como pedágio e comida. Quando estive no país, troquei os pesos no Brasil na relação de 1 real para 7,13 pesos mais IOF. Chegando em Montevideo, perto da Rua Sarandí, troquei por 7,6 pesos sem IOF.

O IVA para mim é meio oculto. De fato, quando se paga com cartão de crédito e débito tem desconto, mas as alíquotas oscilam muito. Em um restaurante recebi 18% de IVA. Já no Mercado Agrícola o desconto foi só de 5%. Não tive boas experiências perguntando ao pessoal dos restaurantes qual seria a alíquota, mas vai que você tem mais sorte que eu. Vale notar que o desconto só é aplicável quando a “comanda” tem o número da fatura e o desconto é automático passando cartão internacional.

Não houve devolução de IVA em nenhum dos hotéis que fiquei apesar de ser classificado como serviço.

Cartão Visa: Não cheguei a uma justificativa lógica, mas encontrei numeráveis restaurantes que só aceitavam Visa, então, talvez seja bom tê-lo disponível

Outra parte que sempre pega um tantinho do nosso dinheiro e temos que estar preparado para gastar é com as gorjetas (propinas) e os cubiertos (são as entradinhas que eles trazem nas mesas, igual ao couvert). As gorjetas segue o mesmo que no Brasil, 10%; é sempre incluída ou não ao pedir a conta.

E agora um vídeo explicando tudo isso:

Espero que tenha ajudado vocês.

Até o próximo post pessoal!

 

1 Comment

  1. Ótimas informações!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *